15 February 2016

das perguntas do B.


As viagens escola-casa-escola-casa ou o que for são sempre uma surpresa. Se há coisa que não podemos contar é que sejam sempre iguais.
É no carro que me apanham sem possibilidade de fuga, é no carro que sabem que a minha mão não chega ao rabo para uma palmada se for preciso, é no carro que discutimos o dia, é no carro que me dizem as coisas mais queridas e as coisas mais horrendas... Ultimamente é o B. que tem o maior tempo de antena.

O B. é um puto peculiar, é um curioso nato, quer saber tudo (o que interessa), e mais do que saber, quer perceber tudo. E há muita coisa que ele não percebe ainda e isso deixa-o irado (esta palavra não é um exagero)! Se não fosse a exposição desnecessária e cruel do meu filho mostrava um vídeo em que ele chora lágrimas gordas porque não entende por que há metais duros e metais moles e porque é que ainda não sabe estas coisas nem explicá-las e pior por que é que demora tanto tempo a chegar o tempo de as saber... juro: 1m26s nesta dúvida fúria.

Ultimamente preocupa-se muito com a criação do mundo e das pessoas. Vou anotando as perguntas que me faz para depois ver se consigo responder...
- Mãe, Mãe... como é que apareceu o primeiro homem?
- Mãe, Mãe, Mãe! se eu for a Neptuno tenho lá oxigénio?
- Mãe, Mãe, foi a Mãe e o Pai que escolheram eu ser alérgico a nozes?
- Mãe, pões leite nas maminhas sempre que queres?
- Mãe, mãe, porque é que eu adoro coisas eletrónicas? 
- Mãe, como é Jesus é irmão de todos se eu não sou filho do José e da Maria?
- Mãe, Mãe, Mãe! explica-me a história do ovo e da galinha...

Chama-me sempre mais do que uma vez apesar de eu quase sempre responder ao primeiro chamamento: sim? e depois repete mais uma ou duas vezes apesar de eu já estar a olhar para ele e ele estar a olhar para mim por detrás das suas mega pestanas. Pensa uns segundos no que vai dizer e depois saem estas coisas. Desarma-me completamente. Deixa-me à toa com ar de parva a dizer que em casa tentamos perceber isto melhor ou boa pergunta, também não sei. Nunca vou saber meu filho.
Sei explicar-te a história dos mamíferos, a de Jesus, a de não haver oxigénio em todo o lado... mas nunca vou saber tudo, e tu também não.  E temo pensar que não estejas preparado para não saber tudo, que o não saber alguma coisa te deixe tão fora de ti. Que não percebas que tens todo o tempo do mundo para aprender.

Hoje veio de futebol com uma poupa à punk. Podia jurar que era gel mas assumi que fosse água e disse-lhe que oh filho com este frio e água na cabeça ainda ficas doente! Passou a mão com orgulho no cabelo: não é água Mãe, é cuspe! veio de mim para mim e isso não me pode fazer ficar doente, pois não?...

No comments: